Quinta-feira, 24 de Maio de 2007

Covelo - origem do nome

 

      Na freguesia de S.Veríssimo de Paranhos, Covelo é nome de quinta, de rua e de duas travessas que lhe são adjacentes. Para se descobrir a sua origem, houve necessidade de se recorrer a Horácio Marçal para se ler o seguinte:

«Quinta do Covelo - Esta riquíssima propriedade tem 90 000m2 de superfície e confina, pelo sul, com a Rua de Bolama; pelo poente, com a Rua de Faria Guimarães; pelo norte, com as escadas da Rua do Monte de S.João, e, pelo nascente, com as ruas do Monte de S.João e de Álvaro de Castelões.

      O fundador desta "Quinta", que se chamou do "Lindo Vale" e da "Bela Vista", foi um antigo capitão geral da cidade (por volta de 1720) e fidalgo da Casa Real de nome Pais de Andrade, que por sua morte deixara a duas filhas, que vieram a falecer em estado de solteiras.

      Destas, por compra, passou para o comerciante Manuel José do Covelo, de Amarante, residente na cidade do Porto, onde tinha dois grandes armazéns: um de sedas e outro de cereais, sendo este último no prédio onde actualmente se acha instalada a Companhia Vinícola, à Rua de Entreparedes.

      Logo que Manuel Covelo entrou na posse da propriedade, mandou-a aformosear e cultivar, chegando a produzir 40 pipas de bom vinho, além de muitos carros de cereal.

      Esta "Quinta", que depois tomou o nome do seu proprietário - Covelo - tinha uma boa nascente de água, mais tarde eliminada pelo desenvolvimento de construções e escavações que se fizeram à sua volta.

      O edifício primitivo, com sua capela anexa, presentemente em estado ruinoso, fazia frente para o caminho que veio a ter o nome de Viela do Covelo, a qual, como ainda muito bem se pode ver, fazia um joelho no cunhal da referida capela (Esta capela ainda conserva, como saudosa recordação, uma pequena cruz no pináculo da fachada e dois desmantelados campanários sem sinos).

      Faleceu o comerciante Covelo no ano de 1829 ou 1830 e o seu corpo ficou sepultado em mausoléu de pedra, na capela privativa da sua casa senhorial.

      O seu corpo desceu à sepultura envolvido em rico uniforme do seu posto de oficial (milícias?), levando espada com copos de ouro e vários outros adereços do mesmo precioso metal, tais como charlateiras, etc.

      O actual dono desta propriedade, com quem falámos para a obtenção destes informes, é o Sr. Isidro António Pereira Rocha Paranhos e conta hoje (1954) 70 anos de idade.

      A "Quinta" já vem de seu avô Manuel Pereira da Rocha Paranhos e passou a seu pai António Paranhos (falecido em 13/03/1936 com 85 anos de idade) que, comprando a parte dos irmãos, ficou seu único proprietário.

      Esta magnífica e vasta herdade, que teve, como vimos, diversas denominações, é hoje conhecida também por "Quinta do Paranhos", nome tomado dos seus últimos representantes.

sinto-me: Com tempo bem ocupado
música: 'A ouro e prata' FAUSTO
tags:
publicado por caminheiro1 às 23:41

link do post | comentar | favorito
16 comentários:
De Ricardo a 22 de Dezembro de 2007 às 15:39
Muito bem, Sr. Francisco. É sempre bom saber mais sobre a cidade que nos acolheu como filhos e nos fez e faz crescer como cidadãos, pessoas e filhos de Deus.
Tudo tem uma razão de existir, né verdade? Ora bem, e então, este blogue ajuda-nos a conhecer o que nem faziamos ideia do que poderia ser. Obrigado.
ps: poeta é ser-se um alguém que gosta de expôr seus sentimentos, pensamentos, etc no papel. Que sobretudo gosta de ser influenciado e de influenciar. Não penso que sejamos maiores do que ninguém.
Até já!! :)
De REgina Maria Brandão Motta a 4 de Março de 2014 às 20:50
SOU PARANHOS - moro no Rio de Janeiro - trineta de José Maria da Rocha Paranhos e gosto de me ocupar de genealogia. Gostaria, de saber mais sobre as origens da família. Tenho uma árvore no My Heritage - voce pode me encontrar como Regina Maria Brandão Motta - neta de Maria Feliciana Crissiuma Paranhos. Pode também me contatar pelo facebook com o mesmo nome acima ou pelo e-mail reginamariab@superig.com.br. Obrigada
De RAUL PARANHOS a 2 de Novembro de 2015 às 21:44
Para sua informação sou o único Paranhos vivo e com
88 anos. Sou do Porto-Portugal de onde os Paranhos
Nasceram e viveram todos os Paranhos aí no Brasil tem
a origem aqui na cidade na cidade do Porto. Se quizer saber mais contacte comigo
De regina a 3 de Novembro de 2015 às 17:02
É um prazer saber que temos um Paranhos em Portugal. Mais feliz ainda porque tens o mesmo nome de meu pai - Raul Paranhos de Valladão Gomes Brandão. Talvez, com sua ajuda eu possa completar a minha árvore genealógica. Em breve entrarei em contato -
Muito Obrigada
Regina
De regina a 3 de Novembro de 2015 às 17:17
feliz em poder encontrar mais um parente e com o mesmo nome de meu pai - Raul. Logo entro em contato - Regina
De Regina Brandãoc a 4 de Março de 2014 às 21:20
voce teria um brazão da família do Manuel Pereira da Rocha Paranhos?
De Isabel paranhos a 12 de Janeiro de 2015 às 01:49
Minha família é Freitas Paranhos e é da Bahia, Brasil. Será que existe algum vínculo?
De REgina a 3 de Novembro de 2015 às 17:25
com certeza que voce é parente - amiga. Eu teria que ver a ligação mais tarde porque estou com pressa. Nos falamos
De Gigi a 19 de Janeiro de 2016 às 12:40
Oi, Isabel! Tambem sou descendente direta do mesmo Manoel Pereira atraves de dois filhos que ele teve depois do Jose, ja com uma segunda mulher. Os filhos dele de quem descendo sao o Joaquim n.1820 e o Albino n. 1824. Tanto eu, como uma prima em Portugal (descendente de uma outra filha do Manoel, a Camila) ja pesquisamos juntas a familia ate 1600 e pouco. Do que consta nos meus dados, ainda nao encontramos vinculo com os Freitas Paranhos da Bahia. Pelo que vi nos livros paroquiais, o nosso sobrenome Paranhos so veio aparecer em registros no Brasil. Era muito comum na epoca os portugueses adotarem os nomes das cidades de onde vinham. O que eu sei ao certo e que alguns da familia vieram para o Brasil e voltaram para Portugal, onde vivem ate hoje. O mesmo Manoel Pereira teve um outro filho, o Francisco, que se fixou em Porto Alegre. Nao tenho noticia de nenhum deles indo para a Bahia.
De Raul Paranhos a 26 de Outubro de 2015 às 21:58
Sou Raul Mário Pereira da Rocha Paranhos
Único vivo da origem da Familia Paranhos e vivo no Porto á 88 anos, Sou descendente legítimo desta Família, no século XVIII um antepassado meu foi para o Brasil montar as Misericórdias, depois chamou um irmão e a partir daí nasceram até hoje os nomes que se chamam PARANHOS
Raul Paranhos
De Rovena Lopes Paranhos a 13 de Março de 2016 às 20:12
Prezado Sr. Raul, sou descendente de Antônio Pereira da Silva Paranhos e Adelaide de Castro Paranhos. Ele recebeu carta de naturalização no Brasil em 1862. O filho deles Antônio Pereira da Silva Paranhos Filho era meu bisavô. Moro no Brasil e estive na freguesia de Paranhos no Porto recentemente, mas não consegui encontrar meus parentes. O senhor poderia me ajudar com alguma informação?
Saudações, Rovena Paranhos.
De Miguel Paranhos a 29 de Abril de 2016 às 22:59
Olá primo,
Há mais Paranhos vivos no Porto.
Eu, Miguel Paranhos, neto da Maria Alice França da Rocha Paranhos, a minha irmã, Natércia Paranhos e o seu sobrinho/neto Bruno Paranhos.
Também está entre nós o Serafim Paranhos Gomes, as filhas Therese e Sofia, e a Cristina, filha do falecido Manuel Paranhos .
Todos nós descendentes temos filhos.
Falando da minha parte, o meu filho Eduardo Paranhos e o meu sobrinho André Paranhos, continuam com a tradição de manter o nome Paranhos.

Saudações a todos os Paranhos
De regina brandao a 3 de Novembro de 2015 às 23:07
minha descendencia:
João Pereira x Teresa de jesus Pereira da Rocha Paranhos; filho Manoel Pereira da Rocha Paranhos (1770) x Maria Francisca Pereira da Rocha Paranhos: filho José Pereira da Rocha Paranhos x Maria Feliciana Pacheco Paranhos (1815@1880); filho José Pereira da Rocha Paranhos Filho (1846@1915) x Wolfanga de Almeida Crissiuma (1852@1937); tiveram 12 filhos entre eles minha avó Maria Feliciana Crissiuma Paranhos x Raul de Valladão Gomes Brandão; filhos Raul de valladão Gomes Brandão filho (meu pai) x Gerda Mayr (minha mãe) ; filhos Raul de Valladão gomes Brandão Neto (meu irmão e Regina Maria Brandão Motta.
Os demais parentes eu posso passar depois -
Pergunto; voce poderá me completar a árvore a partir de João Pereira e Teresa de Jesus?
Meu e-mail é reginamariab@superig.com. br - moro no rio de janeiro - Brasil
De julio cesar paranhos a 21 de Janeiro de 2016 às 11:53
Eu queria saber noticias das minhas primas, rose,Luciana, minhas
tias, clear, Ceia, são filhas dos meus avos.
De Vanessa a 15 de Abril de 2016 às 19:49
Tambem sou descendente do Manuel Pereira da Rocha Paranhos. Um dos filhos dele, o Albino Pereira da Rocha Paranhos, era o meu quatro vezes avo.
De MARIA CAROLINA TEIXEIRA DA SILVA PARANHO a 15 de Julho de 2017 às 04:19
Oi família Paranhos,
Sou Maria Carolina Paranhos de Salvador-Ba-Barsil e estou em busca das origens da família. Parei no Padre Jõao Alves da Silva Paranhos que acho que é irmão do meu avô Major Elpidio Alves da Silva Paranhos (1880) casado com Isabel Pinheiro da Silva Paranhos. Gostaria da ajuda de vocês..

Comentar post

#Mais sobre mim

#Pesquisar neste blog

 

#Novembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

#Posts recentes

# Entrega de prémios

# Orgulho-me de ser paranhe...

# XI Feira Rural à Moda Ant...

# Exposição de Presépios

# Rua Dr. Pedro Augusto Fer...

# Concurso de Fotografia

# X Feira Rural à Moda Anti...

# O lugar de Cortes

# Fotografias

# Concurso de Fotografia

#Arquivos

# Novembro 2011

# Outubro 2011

# Setembro 2011

# Dezembro 2010

# Junho 2010

# Novembro 2009

# Agosto 2009

# Fevereiro 2009

# Abril 2008

# Fevereiro 2008

# Outubro 2007

# Setembro 2007

# Junho 2007

# Maio 2007

# Março 2007

# Fevereiro 2007

# Março 2006

#tags

# todas as tags

#Links

blogs SAPO

#subscrever feeds